segunda-feira, 15 de maio de 2017

Comunicado da JS de Pereira






Leia Mais…

sábado, 7 de janeiro de 2017

As Janeiras cá da terra



Cada tiro, cada melro!


Cada ano: um pior que o outro!
Então neste novo ano e também com uma nova equipa directiva, já em plenitude de funções e tão cheia de grandes intenções - que se deu ao conhecimento numa pose fotográfica ao nível de uma revista cor-de-rosa-, como é que é possível que com as Bodas de Ouro do Grupo ao virar da esquina, a tradição do Cantar das Janeiras se circunscreva apenas ao Centro de Dia, Casa Paroquial, ADCR Pereira e Junta de Freguesia?
Inconcebível!
Inaceitável!

É algo extremamente redutor para o nosso Grupo Folclórico, para a nossa Vila! 
 
Talvez os Reis Magos, no dia 6, além do habitual ouro, do incenso e da mirra, tragam consigo este ano outros presentes, como por exemplo: jerricans com gasóleo para que as carrinhas dalgumas instituições da Vila não fiquem paradas em plena via por falta de combustível!
Que asco!
Não vos parece que o Grupo Folclórico é cada vez menos da Vila de Pereira, sendo apenas, mais um, dos muitos coutos que por cá existem?

Ups!  Mete gelo!

O texto, sobre este mesmo tema, datado de 3 de Janeiro de 2015, está aqui.
Também pode ser lido, após o cartaz de 2015, que republicamos abaixo.
 
 
"Só os moradores e vizinhos da Casa Paroquial, do Largo do Terreirito, os vizinhos da ADCR Pereira, os mais próximos da Capela de Santa Rita e da Junta de Freguesia é que têm o privilégio (?!) de ouvir cantarem as Janeiras?
E quem se não pode deslocar?
É a montanha que vai a Maomé?
Não há, nos dias de hoje, viaturas para deslocar os cantadores e respectiva tocata pelos outros bairros da Vila?
Só os moradores e vizinhos da Casa Paroquial, do Largo do Terreirito, os vizinhos da ADCR Pereira, os mais próximos da Capela de Santa Rita e da Junta de Freguesia é que têm o privilégio (?!) de ouvir cantarem as Janeiras?
E quem se não pode deslocar?
É a montanha que vai a Maomé?
Não há, nos dias de hoje, viaturas para deslocar os cantadores e respectiva tocata pelos outros bairros da Vila?
Então, nos locais abaixo indicados, não existem pessoas para quem a tradição ainda é o que era e não quase uma subversão, alimentada pela obrigação - e não pela paixão, de promover mais uma iniciativa, que se nos afigura como mais um logro, mais um atentado à “tradição secular” e à imagem de grandiosidade granjeada no passado pelos promotores e da própria Vila em si?
Exemplos?
Montes de Cima: Largo da Capela
Senhora do Pranto: Largo da Capela
Cabecinhos: Fonte do Coronel
Morraceira: Cruzamento para a Rua Vila de Pereira
Casais Velhos: Largo da Associação (que já reabriu!)
Urbanização Quinta D. Teodora: largo principal
Urbanização Quinta S. Luiz: largo principal
Tojal: Largo da Capela ou na Cruz Vermelha
Mas, nem tudo é negativo.
Começar pelos mais velhos, no Centro de Dia (o tal barraco de madeira, onde o sol não consegue entrar durante todo o dia) é uma nota digna de ser sublimada pela positiva.
Mas não é só no Centro de Dia que estão muitos idosos que gostavam que o Rancho da sua terra lhes reavivasse a sua meninice, a sua juventude, com o cantar da Janeiras.
Há mais vida, para além destes poucos locais onde o Grupo vai cantar.
Há mais gente, há mais vida noutros bairros, muitos deles sempre ostracizados nestas coisas da Cultura, onde outras pessoas valorizam muito mais esta e outras tradições de forma muito pura, muito genuína, de sorriso rasgado e não com o dever de estar presente de riso forçado, a fazer um frete."


Leia Mais…

terça-feira, 5 de julho de 2016

I Torneio Internacional de Mini-Voleibol

Aqui fica, para os devidos efeitos, porque no calor da luta a memória é de uma selectividade atroz, que a primeira equipa desportiva da ADCR Pereira a participar num Torneio Internacional foi a equipa de Mini-Voleibol em 1991 e não uma equipa, ou equipas, de futebol!

 
Já lá vão 25 anos, conforme atesta a imagem acima, do Jornal da Madeira, de 5 de Julho de 1991, o dia em que os 8 jovenzinhos, participantes neste Torneio, regressaram da pérola do atlântico.

 
Felizmente, passado este quarto de século, estão todos vivos e podem partilhar com todos nós essa experiência única!

 
A nossa Vila era assim, há 25 anos, um turbilhão de vida.
E hoje?

Leia Mais…

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Será este o nosso presente de aniversário?

Leia Mais…

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Faltam só dois meses para as Bodas de Prata!

Leia Mais…

terça-feira, 14 de junho de 2016

Pereira do Cancelamento

Já fomos
Não parece que agora somos
Ele é cancelar desfiles de vestidos de chita, torneios de futebol, noites de fado.
Enfim...
Será que também serão canceladas as mini-festas de S. Tiago deste ano?

Leia Mais…

sexta-feira, 10 de junho de 2016

The state of our toponymy!


Afinal é Casal do Mioto, conforme a informação que está aqui ou é Casal do Minhoto, como esta outra aqui?

E o que dizer, das informações vertidas no painel informativo, como mostra a foto acima, bem como do seu estado de conservação?

Leia Mais…

sexta-feira, 3 de junho de 2016

E a rotunda no Alto Cavaco?


A imagem acima pode ser o símbolo máximo do estado de abandono em que está votada a rotunda do Alto Cavaco, pois que da altura a que ervas naquele local atingiram, pode depreender-se, que aquele espaço há já algum tempo não é intervencionado.
   

Ora, como aquele local é uma das entradas da Vila por onde, diariamente, passam milhares de carros, o que lhes apresentamos é este péssimo cartão-de-visita da nossa Vila e também do concelho?


Porque é que outros espaços ajardinados da Vila, são mantidos e bem, com uma determinda frequência, para que se não chegue ao estado da presente situação?

Uma Vila, dois regimes?

P.S. – Se à hora da publicação desta entrada esta situação estiver resolvida, resta-nos regozijar pelo facto.

Também não era o neste local em que era para ser colocada, a prometida, estátua à Vendedeira de Queijadas de Pereira?

Leia Mais…

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Dia da Criança na Vila de Pereira


Mais informações aqui: http://diadacrianca.pt/programa

Leia Mais…

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Lembram-se do nosso Agrupamento de Escuteiros?

O extinto Agrupamento de Escuteiros 1074, de Pereira, com particular destaque para a última década do século passado, foi um movimento escutista onde passaram muitos dos nossos actuais trintões e não só.
Como no facebook, existe a página “Escuteiros Agrupamento 1074 – Pereira (reactivação)”, para reactivarem as suas actividades, que tal levarem a cabo um conjunto de acções públicas de grande impacto em toda a Vila?
Três exemplos:
Pintura das passadeiras para peões em toda a área da freguesia.
Limpeza de toda poluição visual.
Acções de sensibilização e pedagógicas, junto dos automobilistas, por forma a combater a anarquia que é o trânsito automóvel junto das zonas circundantes ao Ribeiro de Pereira.
Ficam as sugestões, porque “Uma vez escuteiro, para sempre escuteiro”, frase bem conhecida, proferida, pela primeira vez, em 1911, num encontro de escuteiros em Leicester, Inglaterra, por Lord Kitchener (1850-1916).
É que há pessoas, actualmente, com responsabilidades nos destinos da nossa Vila, mas não só, que passaram pelos Escuteiros, precisamente no Agrupamento 1074 de Pereira!

Será que já se não lembram das 10 leis do Escutismo e da sua Divisa?

Leia Mais…